O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
[ Colaboradores ][ A História do Jornal ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ]
Edição de 02-02-2018
Pesquisa
Livro
Alto Douro Vinhateiro Alto Douro Vinhateiro Versão Inglesa
 

SECÇÃO: Opinião

Projeto Erasmus+: “Multilinguismo para uma Sociedade Sustentável” As línguas ao serviço de um mundo sustentável

A diversidade linguística é um elemento fundamental da cultura de qualquer comunidade seja ela europeia ou mundial permitindo o diálogo intercultural, e a capacidade de comunicar numa língua que não a língua materna.

foto
Na UE a diversidade linguística é uma realidade que influencia o ensino e a aprendizagem das línguas nos vários países. Possuir competências linguísticas contribui para a mobilidade, a empregabilidade e o desenvolvimento pessoal dos cidadãos europeus, sobretudo dos jovens, reforçando o diálogo intercultural.
Em termos concretos, o multilinguismo refere-se a uma série de recursos linguísticos que são multimodais. Estes recursos destinam-se a resolver problemas relacionados com situações específicas quer sejam educacionais quer sejam de âmbito económico e social. Na educação, por exemplo, todos os professores devem estar conscientes da importância de apoiar os alunos - tanto para seu próprio benefício como para o benefício da sociedade como um todo - na aquisição de discursos multilingues e, portanto, promover o conhecimento e a utilização de línguas estrangeiras para aceder ao conhecimento e melhor compreender o mundo envolvente. O mundo em que vivemos está interconectado. As culturas e as línguas não existem e não podem existir de forma totalmente independente. São as palavras sábias de Goethe (séculos XVIII-XIX), um escritor alemão, que ilustram bem o quão importante era e continua a ser o conhecimento de várias línguas “Quem não conhece línguas estrangeiras, não sabe nada da própria.” Esta sábia asserção continua atualíssima, mas não nos podemos ficar pelo seu conhecimento, uma vez que o mundo em que vivemos nos exige não o seu conhecimento como o saber em ação.
O Programa Erasmus+ surge precisamente para incentivar a aprendizagem das línguas estrangeiras em contextos europeus, de forma a que as línguas sejam verdadeiras pontes para o conhecimento e o entendimento entre os povos. O projeto Erasmus+, “Multlinguismo para uma sociedade Sustentável”, que o Agrupamento de Escolas Latino Coelho, Lamego, encetou a partir de setembro deste ano, teve o seu primeiro encontro LTT (Learning, Language and Technology) em Pescara (Itália), com a participação de professores e alunos de quatro países – Itália, Portugal, Suécia e Alemanha. Ao longo de cinco dias, a partilha, a interação, o convívio, a aprendizagem cooperativa e a diversidade cultural entrecruzaram-se através de vários idiomas.
Os alunos participantes ficaram alojados em casas de famílias de alunos italianos do projeto, uma situação que enriqueceu e reforçou os laços interculturais e linguísticos dos estudantes. Todos os alunos participaram em aulas de Francês, Espanhol e Alemão, assistiram a aulas de várias áreas disciplinares, fizeram apresentações sobre os seus países e sobre dois dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, preconizados pela ONU até 2030: a igualdade de género e a redução das desigualdades. Os professores e alunos dos quatro países envolvidos tiveram ainda momentos de aprendizagem e de formação com conferências proporcionadas por professores universitários e workshops sobre as didáticas das línguas e o papel do multilinguismo numa sociedade cada vez mais diversa. A escola tem uma função importante no empowerment de competências globais que só o conhecimento das línguas permitirá alcançar, numa perspetiva comunicativa e multidimensional.
As línguas são mais do que uma paixão pessoal ou uma satisfação intelectual; são meios para compreender identidades, culturas e oportunidades de emprego, bem como realizar objetivos pessoais, especialmente profissionais, num contexto mundial cada vez mais multilingue.
“Um dos grandes desafios da humanidade é aprender a arte de comunicar-se. Da comunicação depende, muitas vezes, a felicidade
ou a desgraça, a paz ou a guerra”, de acordo com um conto árabe. E é verdade que o diálogo intercultural se não existir e a intercompreensão não coexistir, então a sustentabilidade do nosso planeta nas suas várias vertentes nunca poderá ser uma realidade só restando a desolação.

Isilda Lourenço Afonso
Agrupamento de Escolas Latino Coelho, Lamego

[Utilidades]
[Outras Notícias]
O Meu Jornal
(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt