O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
[ Colaboradores ][ A História do Jornal ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ]
Edição de 02-02-2018
Pesquisa
Livro
Alto Douro Vinhateiro Alto Douro Vinhateiro Versão Inglesa
 

Arquivo: Edição de 09-05-2014

SECÇÃO: Autarquias

Homenagem a Padre Max Integrada nas comemorações dos 40 do Dia 25 de Abril

foto
Integrada nas comemorações dos 40 Anos do 25 de Abril, foi inaugurada na passada sexta-feira, uma rua com o nome do combatente antifascista Maximino Barbosa de Sousa, conhecido de todos como Padre Max, assassinado em 1976.
A decisão do Executivo Municipal de homenagear o Padre Max nesta data, vem dar um simbolismo especial ao ato e dá cumprimento a uma proposta, apresentada pelo Bloco de Esquerda na Assembleia Municipal de Setembro de 2013 e aprovada por maioria.
Na ocasião, o Presidente da Câmara Municipal de Vila Real, Rui Santos, afirmou "hoje é o aniversário do Dia da Liberdade, o dia em que o sonho comanda a vida, o dia em que ganhamos o direito de falar e de dizermos exatamente aquilo que nos vai na alma, sem receios, sem mordaças. São tantas as "Portas que Abril Abriu", como nos dizia Ary dos Santos, que nenhuma definição, nenhum simples conjunto de palavras, poderá abranger, verdadeiramente, tudo o que Abril foi e é."
Sobre o homenageado, disse também "Não sendo de ninguém e sendo simultaneamente de todos, o 25 de Abril de 1974 foi conquistado por pessoas. Muitas, milhares, fundamentais, anónimas, na sua grande maioria. Pessoas que não conseguimos nomear, mas que homenageamos de cada vez que assinalamos a data e o seu significado." Acrescentou ainda "Maximino Barbosa de Sousa ou, como era conhecido de todos, o Padre Max, foi professor de Liceu, empenhado militante antifascista e candidato pela UDP à Assembleia da República. Foi morto aos 33 anos, por defender aquilo em que acreditava. No dia 2 de abril de 1976, uma bomba colocada no seu carro matou-o a ele e à aluna que o acompanhava, Maria de Lurdes Correia. Um ataque cobarde, nunca vingado, de quem considerava que a defesa da liberdade e da democracia, devia ser paga com a vida. A réstia de justiça em tudo isto é que, 38 anos depois, ninguém se lembrará de quem o atacou. A insignificância de quem foram e do que defenderam, não deixará registo. Mas a importância e o nome do Padre Max, esses continuam preservados na nossa história, nos nossos corações e estão indelevelmente ligados à democracia portuguesa e da nossa região.

[Utilidades]
[Outras Notícias]

Outras Notícias da secção Autarquias
· NERVIR - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL
· Resende recebe Concentração de Vespas Iniciativa realiza-se dia 24 de maio
· Dádiva de Sangue no concelho de Miranda do Douro
· Dia da liberdade celebrado pelos Mesãofrienses
· Reapreciação parlamentar do novo mapa judiciário devolve esperança ao concelho
· Comemorações em Sabrosa deram lugar a protesto contra encerramentos
· Três novos monumentos integram projeto Vale do Varosa
· Associação Abraço faz testes de VIH em Vila Real
· Comemorações do 25 de Abril
· Lamego assinala Revolução dos Cravos em França
· Cavalo foi o centro das atenções na Feira de Santa Cruz
· Júlia Ribeiro homenageada pela Câmara Municipal de Torre de Moncorvo
· Pela permanência do Centro de Emprego na Zona Histórica
· Visita de Deputado Centrista com o Tribunal na agenda
· Aluno de Armamar ganha em Viseu
· Armamar e a maçã de montanha

O Meu Jornal
(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt